O ELO MATERNO

O Elo Materno é a Ligação mais profunda e amorosa entre todos os elos existentes. Por isso a dor e a saudade da ausência do(a) Filho(a) que partiu doe e machuca o coração de uma mãe. Este Elo foi quebrado e como emenda-lo?
Quando nossos Filhos se vão, como continuar viver a vida? Quanto tempo precisamos para nos fortalecer? Dor e saudade será que poderemos supera-las? Existem outras pessoas que dependem de nós? O que mudou em nós? São perguntas que precisam de respostas, e só o tempo nos dará...

PESQUISAR NESTE BLOG

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

O EQUILIBRIO


20 DE FEVEREIRO DE 2014 - Aos trinta e nove meses da partida do meu Filhote, tantas coisas aconteceram, todas com uma significância em minha vida bem maior do que seria se o meu Teteu estivesse comigo. Não tem como não perceber, assim como não tem como esquece-lo, passar por cima da dor, da saudade e de sua ausência. Tudo é tão notório. Não sou a mesma de antes, mas cada dia consigo com a Força de Deus ir avante, não como os demais, mas eu vou e sei que chegarei como todos que chegam em algum lugar.
Neste tempo há dias de extremas saudades do meu menino, onde as lagrimas escorrem dos meu olhos silenciosamente, mas há dias que o conforto é tão grande que parece que ele esta viajando e que em breve voltará. É mais ou menos assim esta sensação que sinto. Sei que ele não voltará, eu irei até ele quando chegar o momento de viajar.
Estamos morando em uma outra casa, Teteu nunca esteve aqui, às vezes eu me pego olhando fixamente para um determinado lugar da casa ou um objeto como a cadeira da mesa, o sofá da sala e em frações de segundo percebo sua a presença que em nada mudou, eu dirigi-lhe algumas palavras e dentro de mim ouço sua voz tão nitidamente a responder. Quando passa este momento fico em êxtase de intima alegria pensado será que é a minha imaginação esta criando situações de vivências devido a tamanha saudade e  desejo de saber como ele esta na contemplação de Deus e das coisas sobrenaturais do Reino e isto por mais absurdo que seja, me faz bem. Sua imagem sempre é risonha como esta foto desta montagem.
Eu prefiro esta sensação prazerosa do que me deparar com sirenes de bombeiros, água, kaiak, IML, corpo exposto, quem foi a última pessoa a ver, delegacia, boletim de ocorrência, depoimentos entre outras coisas; confesso que a pesar do tempo que se passou estes equiparados me lembram o dia da partida do meu Filhote. Meu coração dispara, fico tensa, porque sei que terá uma Mãe em um determinado lugar aguardando o resgate de seu(a) Filho(a). Por mais que eu queira esquecer, isto é impossível, todos os detalhes vem a tona como se tivesse acabado de acontecer. Afinal marcou a minha vida, a minha família e algumas pessoas para sempre, aconteça o que acontecer será sempre lembrado devido o que foi armazenado na consciência de cada um.
O EQUILÍBRIO - Muitos acreditam que ser equilibrado é não deixar se afetar pelos acontecimentos negativos da vida. Especialistas, porém, afirmam que permanecer frio e impassível diante das tragédias e ser imune aos problemas não é sinônimo de equilíbrio. O ideal é responder harmônica e proporcionalmente aos fatos ocorridos. “Quem está equilibrado emocionalmente é capaz de se indignar com algo ultrajante, mas ao mesmo tempo é capaz de se defender quando é desrespeitado, assim como é capaz de ser generoso, ficar feliz, triste e usar o medo como um mecanismo de defesa e não negá-lo. O importante é entrar e sair de cena no momento certo”, explica a psicóloga Tania Theodoro.
Segundo a especialista, as pessoas, normalmente, conseguem identificar como reagir em cada situação imposta pela vida. O difícil, porém, é perceber e lidar com os acontecimentos quando se perde o equilíbrio. A psicóloga explica que o erro está em não resolver os conflitos emocionais na medida em que eles surgem, deixando tudo acumular até o momento em que o indivíduo explode. “Fugimos de problemas e acabamos nos escondendo em desculpas rotineiras, como, por exemplo, o excesso de trabalho”. E são nos momentos explosivos que as pessoas acabam perdendo suas referências, reagem em excesso ou deixam de reagir. 
Junto com esse processo, o desequilíbrio emocional facilita o surgimento de sintomas como stress, ansiedade generalizada, doenças físicas e emocionais. É nessa hora que o indivíduo deve refletir sobre a forma como se relaciona com as pessoas do seu círculo social, além de aprender a respeitar as diferenças de cada um e os seus limites.
Mas até os mais estourados podem recuperar o equilíbrio emocional. Para isso, o indivíduo precisa cuidar de sua saúde física e psicológica, por meio da prática de atividade física, hobbies e terapia. “Encontrar o nosso equilíbrio é uma jornada pessoal. Quando estamos equilibrados emocionalmente podemos decidir o que realmente queremos”.
A psicóloga lembra que a melhor maneira de lidar com distúrbios emocionais é contar com o acompanhamento de um especialista. “Infeliz ou felizmente, em psicologia não existe uma fórmula pronta para nada – cada um tem uma história de vida tão especial, tão única que, embora todos se pareçam muito em relação aos sintomas, dificilmente vão encontrar soluções iguais para seus problemas”, conclui.
EQUILÍBRIO NO LUTO - Na contramão de reações como revolta, culpa e insegurança, comuns a quem passa por um período de luto intenso, após a partida de um(a) Filho(a) ou um episódio de violência, por exemplo, há quem responda a grandes traumas de maneira improvável: levantando bandeiras por mudanças e convivendo intimamente com o motivo do seu sofrimento. "A violência está mais perto do que imaginamos. É importante as pessoas terem consciência disso"
Segundo o psiquiatra Eduardo Ferreira Santos, supervisor do serviço de psicoterapia do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (IPQ-HC), "transformar a perda, a angústia e o sentimento de impotência decorrentes de um trauma em uma situação social útil é um dos mecanismos de defesa mais saudáveis". Ele explica que as vítimas de traumas que levantam bandeiras ou se engajam em movimentos de grupos estão à procura de soluções para lidar com a sua impotência diante da perda, porém existem problemas graves que podem atingir vítimas que não conseguem superar o trauma, desenvolvem transtorno de estresse pós-traumático (Tept). Alguns dos sintomas desse transtorno são flashbacks (imagens do trauma que surgem espontaneamente), pesadelos, depressão, isolamento e sentimento de incompreensão, além de agressividade, impulsividade, irritabilidade, angústia e medos. "Se forem observados os sintomas, é importante que haja uma avaliação psicológica ou psiquiátrica, já que o transtorno provoca um prejuízo importante na vida da pessoa", alerta o psiquiatra.
Eu me pergunto: "Onde está o equilíbrio de uma Mãe ou Pai enlutados pelo(a) seu(a) Filho(a), as angústias, o desamparo, o estado de catatônico, o vazio em nosso coração e na vida, o tamanho da solidão, os períodos das crises de choro desesperador, de raiva e tristeza, se não há uma continuação, pode haver um recomeço?"
A saída para o recomeço de integração para os Enlutados é que troquem suas experiências, nada melhor como poder conversar com outros pais que tiveram um problema igualzinho ao seu. Isso nos fortalece e nos faz bem. É claro que acima de tudo se apegar com Deus nestes momentos de fragilização, só Ele nós poderá fortalecer a medida que permitimos.  O vazio que se faz em nós não conseguimos olhar para os lados e nem temos perceptividade de quem esta conosco, neste momento olhamos para os céus é de lá que virá a nossa força para continuarmos no momento:"Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra." - Salmos 120: 1 e 2.
Cada pessoa (mãe  e pai enlutado) encontra uma forma ou um jeito de conviver com todos os sentimentos que afloram dentro de si, não há ou melhor não existe uma regra ou formula que possamos seguir. 
Eu encontrei o meu em Deus, coloquei acima de qualquer bem maior que eu tenho ou venha ter, a sua força rege a minha vida, a sua Presença é a luz que me guia todos os dias, principalmente nos momentos em que eu sinto dor e saudade pelo meu Filhote. 
Eu sei que Deus esta comigo, eu não conseguiria fazer o que faço e não estaria aqui para dizer isto, não é só o meu Amor pelo Filhote que me faz prosseguir, mas é também o Amor que Deus tem por mim: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." - João 3:16Entendo que embora meu Filhote não esteja de corpo presente junto a mim, o seu espirito vive intensamente na Presença de Deus. 
Deus é Pai e sabe disto, melhor do que ninguém saberá. Ele não quer me ver perecendo em dores, é por isto, que o seu conforto chega até a mim, o seu amparo e a sua força, me dando a certeza que no final tudo ficará bem. Estaremos juntos novamente e desta vez nada nos separará. Deus é o meu EQUILÍBRIO NO LUTO. 
REFLEXÃO MÁRCIA SANTOS - Recentemente assistir um filme do diretor João Antonio Bayona -  O IMPOSSÍVEL. Trata-se da história de uma família em meio ao tsunami que assolou o litoral da Tailândia, em 2004. Maria vivida pela atriz (Naomi Watts), Henry vivido pelo autor (Ewan McGregor) e seus três filhos iniciam suas férias na Tailândiam em busca de alguns dias de sossego no paraíso tropical. Porém, na manhã de 26 de dezembro, enquanto a família relaxa na piscina depois das festividades de Natal, um terrível barulho surge do centro da terra. Maria, paralisada, vê à sua frente uma enorme parede de água suja que vem ao seu encontro. Os dias maus chegaram na sua vida por um fenômeno da natureza.
Os dias maus chegam na vida de qualquer pessoa de formas diferentes, mas chegam. O meu começou quando meu Filhote partiu prematuramente em um dia comum de forma inesperada numa festa de família, onde todos os familiares do meu esposo estavam presentes. 
Por quatros dias a minha esperança permaneceu até o momento em que vi o corpo do meu Filhote inerte boiando sobre água, sem que eu pudesse toca-lo. 
Mas, até este momento eu a minha fé era que tudo terminaria bem. Acharia o meu Filhote com vida e voltaríamos para casa, e seguiríamos as nossas vidas normalmente. Isto nunca aconteceu.
Quando a esperança chegou ao fim ao sepultar o corpo do meu Filhote, uma dura e cruel realidade na minha vida, na minha família havia começado. Porém, permaneço firme na minha fé, acreditando que um dia voltaremos todos para casa. Graças à Deus que a família de Maria se encontram, voltam para casa todos juntos. Vale apenas assistir...
Observação: Eu queria ter postado o filme no Blog não foi possível, este é o link.
LINK  -http://www.filmesonlinegratis.me/o-impossivel-legendado/

ABRAÇOS FRATERNOS DE MÁRCIA SANTOS E FAMÍLIA AOS LEITORES E SEGUIDORES DO BLOG EM ESPECIAL AOS PAIS ENLUTADOS

MÃES E FILHOS ELO ETERNO

Loading...

CONTATOS FEITOS POR:

Telefones: (011) 5928-7080 ou (011) 98939-3955
Email: marushasantos@uol.com.br